Impostos: Sua empresa pode estar pagando mais do que devia

Impostos: Sua empresa pode estar pagando mais do que devia

O sonho de muitos brasileiros é ser um empresário de sucesso e ter uma empresa com saúde financeira boa e estável. Mas, para isso, antes de mais nada, é preciso muita atenção e cautela.  Um desafio comum na vida dos empreendedores é evitar o pagamento de tributo incorreto ou equivocado, em virtude da complexidade da legislação tributária.

Sabemos muito bem, que um dos grandes problemas do sistema tributário brasileiro é a larga variedade de impostos, taxas e contribuições que incidem sobre as empresas, dificultando o correto planejamento, controle e o cálculo da carga tributária a ser paga. Além de prejudicar o crescimento das empresas nacionais.

Por isso, nesse artigo vamos analisar os principais tributos cobrados das empresas, dessa forma, você poderá seguir firme com o planejamento tributário da sua empresa.

 

Quais são os principais tributos pagos pelas empresas?

A incidência dos tributos varia de acordo com o tipo de empresa e atividades que ela executa. Portanto, nesse cenário, frisamos a importância da elaboração do planejamento tributário para entender em qual formato a sua empresa se encaixa.

Listamos abaixo, os principais tributos para recaem sobre as empresas em geral, seja tributo federal, estadual ou municipal.

 

ICMS - Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços

O ICMS é um imposto estadual que incide sobre os serviços e mercadorias em geral. É recolhido mensalmente de acordo com o Código Nacional de Atividade Econômica (CNAE).

A alíquota do ICMS varia para cada estado do Brasil e por tipo de produto ou serviço. Por isso, para calcular é importante pesquisar as regras por localidade. Além disso, existem ainda, casos que não há incidência do ICMS, ou seja, o imposto não incide sobre algumas operações específicas.

 

IRPJ - Imposto de Renda Pessoa Jurídica

O IRPJ é um tributo federal e destinado a todas as empresas com Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ). A contribuição do IRPJ é calculada sobre a arrecadação da empresa e normalmente é feita anualmente, mas pode ser feito ainda trimestralmente.

O cálculo do Imposto de Renda é baseado no regime tributário e receita da empresa. Sendo assim, existem 4 diferentes modelos para realização do cálculo do Imposto de Renda, pelo Lucro Real, pelo Lucro Presumido, pelo Lucro Arbitrado e pelo Lucro Simples ou Simples Nacional.

 

CSLL - Contribuição social sobre o lucro líquido

É um imposto obrigatório destinadas para todas as empresas. A CSLL é um tributo federal com alíquota de 9%, com exceção de instituições financeiras, que pode variar até 15%.

A contribuição que incide sobre a empresa é calculada conforme o modelo de tributação adotado no IRPJ, seja Lucro Real, pelo Lucro Presumido, pelo Lucro Arbitrado e pelo Simples Nacional.

 

PIS/PASEP - Programa de Integração Social (PIS) e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP)

O PIS/PASEP são contribuições sociais pagos para os colaborares da empresa privada ou pública, destinados ao financiamento do seguro desemprego e abono salarial do empregado.

A contribuição do Programa de Integração Social (PIS) e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP) é efetuada mensalmente, podendo ser paga em e formatos: sobre o faturamento, sobre a folha de pagamento ou sobre a importação.

 

COFINS - Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social

É um tributo federal calculado sobre a receita bruta mensal empresa. É também uma contribuição social, por sua vez, a arrecadação desse imposto é destinada à Seguridade Social (saúde pública, previdência e assistência social).

 A alíquota do COFINS vária de 3% à 7,6%.

 

IPI - Imposto sobre Produtos Industrializados

O IPI é um imposto que recai sobre os produtos industrializados, seja nacional ou importados. A tributação ocorre no momento que os produtos saem da fábrica.

A alíquota vária por produto conforme a Tabela de Incidência do IPI (TIPI).

 

ISS - Imposto Sobre Serviços

Esse imposto é de competência municipal e incide sobre as empresas que prestam serviço com Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), assim como, para profissionais autônomos.

O cálculo do ISS é baseado no valor do serviço prestado. Desse modo, além da porcentagem da alíquota, que vária até 5%, deverá conhecer o valor cobrado pelo serviço para chegar ao valor da contribuição.  

 

Planejamento Tributário

Gerir uma empresa e torna-la mais competitiva vai além de criar e vender novos produtos e serviços. Uma boa administração implica no acompanhamento das obrigações fiscais da empresa, evitando o pagamento indevido de impostos e a perda de receita.

O planejamento tributário é o conjunto de análises e projeções que tem como objetivo a redução da carga tributária. Ou seja, é uma forma de diminuir e principalmente evitar o pagamento de tributos desnecessários pela empresa.

Para um planejamento tributário ser efetivo e de resultados, ele deve ser executado de acordo com a realidade do seu negócio. Deve ser personalizado para a sua empresa, analisando suas características e sua realidade, desde a produção, passando pelo setor administrativo até o faturamento.

Em resumo, vivemos sob as regras de um sistema complexo, no qual, pequenos erros podem causar grandes perdas, ocasionando no aumento das despesas e prejudicar o futuro da empresa. Por isso a equipe de sua empresa deve ter grande atenção em todas as operações do negócio.

 

Sua empresa possui um planejamento tributário? Ficou com alguma dúvida sobre pagamento de impostos? Não deixe de compartilhá-las conosco nos comentários, vamos ficar felizes em esclarecê-la!

baixe ebook boas práticas setor fiscal

Rodrigo Fonseca Fisco Expert

 

 

 

 

Cadastre e receba conteúdo por email